segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O conto tem que chegar fatalmente ao seu fim, como chega ao fim uma grande improvisação de jazz ou uma grande sinfonia de Mozart. Se não se detiver na hora certa, vai tudo para os diabos.

Sem comentários:

Arquivo